Exigimos a demissão do Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, pelas afirmações racistas sobre países não europeus

11132 assinaturas

Assina se concordares

Exigimos a demissão do Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, pelas afirmações racistas sobre países não europeus
Quero receber atualizações sobre as campanhas do DiEM25.

Ao assinar concordas que podemos armazenar os dados acima para efeitos desta petição. Não receberás uma newsletter a menos que peças para a receber. Para mais informações, por lê a nossa política de Privacidade.

>> Exigimos a demissão do Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, pelas afirmações racistas sobre países não europeus

A 13 de Outubro, Josep Borrell - Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança - proferiu um discurso na inauguração do programa piloto da Academia Diplomática Europeia, com observações que revelam a terrível mentalidade racista e colonial que permeia mesmo os mais altos níveis da liderança política europeia.

"A Europa é um jardim. Construímos um jardim. Tudo funciona", disse Borrell. "A maior parte do resto do mundo é uma selva, e a selva pode invadir o jardim".

"Os jardineiros devem cuidar disso, mas não vão proteger o jardim com a construção de  muros". Um belo pequeno jardim rodeado de muros altos para impedir a entrada da selva não será uma solução. Porque a selva tem uma forte capacidade de crescimento, e o muro nunca será suficientemente alto para proteger o jardim".

Esta suposta analogia é inaceitável, qualquer que seja o contexto. O facto de ter vindo do chefe dos negócios estrangeiros da UE, num evento público com a próxima geração de diplomatas da UE, é chocante e grotesco. Ao chamar "uma selva" à maior parte do resto do mundo, Borrell depreciou milhares de milhões de pessoas em partes do mundo em desenvolvimento como resultado direto do legado colonial da Europa, e mostrou que, longe de querer expiar essa imensa injustiça, quer na verdade perpetuá-la.

A conduta de Borrell, dito de forma simples, é imprópria para o cargo que ocupa. Exigimos a sua demissão imediata.

Assina a petição